Caso assédio sexual no transporte escolar: motorista não foi afastado, somente remanejado, pais ficam revoltados

Ontem (06) a Comissão de Segurança Pública e Trânsito denunciou suposto caso de assédio sexual no transporte escolar rural de Cascavel, a Secretaria de Educação informou a assessoria do vereador Fernando Hallberg (PDT), que o motorista seria afastado de suas funções, porém isso não ocorreu.

Segundo relatos dos pais dos alunos, via redes sociais, o funcionário foi somente remanejado de linha, intensificando o medo da população que depende do serviço, pois entendem que até a resolução do caso, o acusado não deveria exercer suas atividades.

Visto isso, a Comissão está encaminhado a Secretaria de Educação ofício questionando o motivo do motorista ainda estar trabalhando, pois os vereadores compartilham do mesmo entendimento dos pais dos estudantes, e também pelo fato da pasta ter informado que o colaborador seria afastado.

Entenda

Na tarde de ontem, chegou até os parlamentares (Hallberg, Sampaio e Madril) a informação que uma criança estaria sendo assediada dentro do ônibus do transporte escolar rural. A mãe da menor registrou boletim de ocorrência e a Comissão de Segurança e Trânsito encaminhou ofício ao Nucria (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crime) e a 15ª Promotoria Criminal de Cascavel.

Assessoria de Imprensa/Fernando Hallberg


Quer acesso em tempo real a tudo que está acontecendo sobre a COVID-19 em Cascavel?

Entre em nosso grupo de notícias no WhatsAPP!
Entrar no Grupo